Sobre o certo e o errado, a luz e a sombra, e os recursos necessários à sua existência

reflexões

#1

Na sequência da partilha de uma amiga no facebook, e com a vontade de compilar toda a partilha que sinto ser relevante e gostava de um dia ver escrita em eventual livro a partilhar com outras pessoas, ocorre-me aqui refletir então sobre o certo e o errado, a luz e a sombra, simplesmente começando por partilhar o que ali foi escrito.

Sandra Cristina Ramos
uma acção errada não apaga uma acção certa
uma acção certa não apaga uma acção errada
a luz e a sombra são faces do ser humano inalienáveis da sua vida e a negação desta realidade, em geral, torna a sombra perigosa

Diogo (eu)
Gosto da tua reflexão na medida em que concordo que onde há luz pode muito bem haver sombra, excepto talvez quando o sol paira sobre a nossa cabeça e durante a noite escura sem qq traço de iluminação.

Mesmo aí, será relevante lembrar, que existem vários tipos de luz e de sombra, e que nem sempre são vísiveis a olho nú .

E eu estou a escrever e a responder-te, na perspetiva de me ligar a ti, e também por algum receio que os “emoticons” - neste caso o meu “like” - possam não ser suficientes para te revelar o que sinto e penso efetivamente com esta tua frase.

E também admito que, havendo um certo “vício” no uso do facebook a estas horas da noite, na prática aqui para sentir e ver o que “pode ser preciso”.

E ao mesmo tempo páro, pensante, de toda a energia necessária para ter a luz atrás de mim ligada e o computador ligado também, a par com o router…a eletricidade que isso consome.

E indo mais além, todas as pessoas que têm trabalho por haver eletricidade a ser consumida, e todas as pessoas que levam pão para casa por isso acontecer. E todos os recursos que são explorados, os cursos de água desviados, para que tal eletricidade possa cá chegar.

E porventura, é a meio de um hino a essa eletricidade que me ocorre, para já, por fim dizer:

Estamos ligados.